Pesca do Dia ou Pesca del, aqui no México é a forma como os restaurantes ligados ao mar oferecem o pescado mais fresco que tem. Aquele que acabou de ser pescado. É aqui que nós, do Brasil Cristalino te oferecemos nossas últimas pescarias, recheadas de aventura e com um sabor todo especial.

Nossa Pesca do Dia de hoje mostra a captura de um peixe que eu tinha muita vontade de capturar e ainda traz uma receita deliciosa no final, nossa preferida para este pescado.

Em cada lugar novo em que chegamos e passamos um tempo pescando, o ritual se repete, novas amizades, um novo Mar ou Oceano, novas espécies de peixes, um novo cenário.

Mesmo antes de chegar a La Paz, um dos peixes que eu sempre via nos vídeos de pesca sub era o olhete, peixe forte, imponente, que anda em cardumes e se aproxima da costa e dos locais de profundidade acessível no inverno aqui de La Paz, que ocorre exatamente quando começa o verão no Hemisfério Sul, do qual o Brasil faz parte.

1 -  Quais foram as dificuldades encontradas pela Lilian Horayama para iniciar a pesca submarina ?

Lilian Horayama

Eu comecei a praticar a pesca submarina na nossa primeira Expedição Brasil Cristalino em 2009/2010 no Brasil. A minha maior dificuldade quando eu comecei a pesca submarina foi começar pelo ''difícil", pescando em rios com pouca visibilidade, com peixes elétricos, jacarés, ariranhas, antas, capivaras... Inclusive eu fiquei um pouco traumatizada quando bati a cabeça num jacaré.

Outra dificuldade foi encontrar equipamentos para mulheres, até hoje eu uso equipamentos para homens, como nadadeiras, roupas ,arbaletes , etc. Não existe nada rosinha Quero muito encontrar equipamentos para mulher, vou ver se acho nos EUA, pois lá existem mulheres que praticam a pesca sub.

 

2 - Sobre a estrutura dos serviços de Pesca Sub no Brasil e no exterior . Vocês acreditam que tem Mercado, Espaço e condições para mais empresas fazendo saídas de pesca submarina? Temos muito a melhorar em relação a estrutura de saídas para pesca sub no Panamá, Costa Rica e México?

 

O vento norte tem soprado forte desde que voltamos do Pacífico e já fazia alguns dias que o inflável me chamava para mais uma aventura aqui no Mar de Cortez.

Tomei coragem e acordei bem cedo e determinado...

Quando fico alguns dias sem sair de inflável, todos os detalhes que já são automáticos quando saio dias seguidos, devem ser cuidados...

A preparação começou na noite anterior, em que propositalmente deixei as luzes subaquáticas do Brasil Cristalino acesas para atrair as tainhas, que betem ponto em cardume na nossa popa todas as noites. Para não ter que capturar peixes pequenos para o engodo no dia da pescaria, eu capturo uma tainha e deixou ela no freezer até a manhã seguinte. Assim foi feito e hoje cedo foi uma preocupação a menos e um detalhe valioso no final do dia.

EDUARDO BALBO JARRUCHE E LILIAN HORAYAMA DO BRASIL CRISTALINO , não só responderam algumas perguntas, como contaram toda a história da fantastica viagem , desde o planejamento até os dias atuais. O Dive Brazil sente-se honrado por ter recebido hoje e sempre tanta atenção desse casal! Obrigado.

"Quero agradecer ao Anderson Broco e a todos do Dive Brazil que sempre demonstraram muito carinho conosco do Brasil Cristalino. Muito obrigado por se interessarem pela nossa história... Quero que todos vocês saibam que é um privilégio enorme poder viver e dividir cada aventura com vocês..." Eduardo Jarruche

1. Como iniciou sua relação com a pesca submarina?

Quando eu tinha uns 12 anos de idade, morando em Ribeirão Preto, SP, minha irmã mais velha voltou dos EUA com uma máscara daquelas de visor inteiro e com um snorkel de presente. Por muitos anos eu levei esse conjunto para o litoral nas férias de final de ano e sempre procurava um costão de pedras pra mergulhar.

 

O Mar de Cortez, nesta região onde estamos, próximo do seu final, onde ele encontra o Oceano Pacífico, é conhecido pelo grande número de peixes pelágicos que aqui habitam.

Hoje saímos para testar nosso barco depois da manutenção anual e em busca deles e foi uma emoção atrás da outra em um trabalho de equipe que deu super certo.

Os wahoos vem e vão daqui, passando de super abundantes a escassos em poucos dias. Precisamente agora eles estão muito abundantes e juntando com os relatos e fotos dos Marlins Azuis capturados a apenas 30 milhas da marina, tivemos que ver tudo isso ao vivo.

Saímos da Marina as 8 da manhã com destino a Ilha Cerralvo, guiados pelo Capitão Enrique Lleras, somente eu e a Lilian de pescadores.

É hora de fazermos a manutenção anual. Conserto de um alarme no timão, troca de óleo das transmissões, troca de óleo e filtros dos motores, troca dos anodos de zinco, troca dos estabilizadores e por fim, pintura de casco. Vai ficar novo pra levar você e sua família pra pescar e passear no Mar de Cortez...