Ver um cardume de olhos-de-boi, um peixe super esportivo e cobiçado no Brasil e no mundo, desfilar na sua frente, sem que você consiga ver o fim... é uma sensação indescritível, principalmente para um amante da natureza e praticante da pesca sub como eu... Confira já este vídeo!

Eu sempre tive a esperança de encontrar uma companheira que topasse curtir minhas aventuras comigo, mas nunca imaginei que a cumplicidade podia chegar ao que vivo com a Lilian aqui no Brasil Cristalino, nosso Barco, nossa casa.

 

Este é o resumo de quatro dias de aventura, pesca sub, diversão, paisagens lindas e lugares inexplorados que vivemos desde o sábado passado.

 

Saímos de nossa marina, em La Paz, com o plano de procurar novos pontos de mergulho e pesca submarina, como de costume, quando estamos próximos de receber um grupo de pescadores brasileiros, que, neste caso, pescarão conosco no final de maio agora.

 

Em uma saída como essa, onde planejávamos ficar pelo menos 3 noites dormindo em ilhas e outros locais desconhecidos, procurando novos pontos de pesca, tudo é novo, tudo é surpresa e portanto, temos que estar bem preparados. Provisões de comida, água, diesel, gelo, guias náuticos da região, consertos preventivos e de última hora no barco, trabalhando sem parar, por uma semana, mas tudo isso valeu a pena no primeiro instante em que entrei na água.

 

Aqui vale uma ressalva, como fomos só eu e a Lilian, só eu mergulhei e a Lilian foi super companheira, ou companheiraça, como eu costumo chamá-la...

 

Quem tem tempo e informação, pode economizar um bom dinheiro nas manutenções do barco: Tudo no mundo da náutica é mais caro e vem com o custo barco. A mesma peça que é vendida pra qualquer outro uso, quando é vendida para um dono de barco é o dobro ou três vezes mais caras...

Estas duas peças fazem parte do sistema de escape do Brasil Cristalino e vinham sofrendo uma corrosão interna e ocasionando um pequeno vazamento de água salgada dentro do quarto de máquinas.

No episódio 4 da série, começamos a usar o pole spear (fisga) em um local cheio de carnada (isca), sem muito sucesso. Capturamos um dos últimos olhetes da temporada, que está no fim e damos as boas vindas aos olhos-de-boi, aqui conhecidos como Pez Fuerte. 

ATENÇÃO PESCADORES SUBMARINOS 

Muitas vezes nos perguntam se vendemos nossas capturas até se sobrevivemos da pesca sub. Respondendo a um companheiro de Pesca Sub eu escrevi esse texto que resume o que pensamos e como vivemos a PESCA SUB.

Realmente amamos a Pesca Sub e representar esse grande país que é o Brasil, de alguma maneira, mesmo que seja apenas como um casal de brasileiros praticando a pesca sub em vários países e em dois Oceanos, para nós é um orgulho. Desde que saímos do Brasil, passamos por diversos países, sendo que o Panamá foi o que melhor demonstrou manter os estoques de peixes, mas mesmo lá, eu arriscaria dizer que não se pode viver da pescasub. Nossa renda não vem da pesca sub. Os peixes que capturamos nós mesmos consumimos ou são doados a marinheiros, amigos e quando a quantidade é grande, até para instituições de caridade. A tendência mundial da pesca sub é de cada vez ser mais vigilada e controlada e a venda de pescado arpoado, como no Brasil, já é proibida em diversos países, incluindo Panamá.